REC

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Psycho.jpg
Este artigo é sobre um filme de terror!

É melhor nem lê-lo, a menos que queira encontrar a menina do exorcista. Se vandalizar, a Samara virá te comer pegar daqui à 7 dias!



Cquote1.png Você quis dizer: Resident Evil Mexicano Cquote2.png
Google sobre REC

Cquote1.png Você quis dizer: Madrugada dos Mortos Cquote2.png
Google sobre REC

Pôster do filme

Cquote1.png É apenas uma adaptação mexicana de Resident Evil Cquote2.png
Paul W. S. Anderson (frustado) sobre [REC]

Cquote1.png MELHOR QUE ATIVIDADE PARANORMAL! Cquote2.png
Chuck Norris sobre [REC]

Cquote1.png Pablo, Vai gravando tudo...PUTA MERDA Cquote2.png
Angêla Vidal no final do filme

Cquote1.png Teria sido melhor assistir A Usurpadora Cquote2.png
Mexicano após assistir o filme

Cquote1.png MANU !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Cquote2.png
Ângela antes de descobrir que todo mundo virou Zumbi

Cquote1.png AHHHHHHHHHHHHHRRRRRRRRRRRRRRRRHHHHAH !!!!!!!!!!!!!! Cquote2.png
Manu Sobre o comentário acima

Cquote1.png Experimenta el míedo Cquote2.png
Slogan do filme

Rec, também conhecido como REC ou [REC], é um filme de terror espanhol como se fosse um documentário que não mudou a nossa vida em merda nenhuma. O filme só ficou famoso porquê no final do filme se vê a Repórter sendo arrastada pro Quinto dos Infernos e o filme sem nenhuma explicação sobre o que aconteceu com a pobre Mexicana

Enrrrrrrrrredo[editar]

O filme Rec é como se fosse um documentário: é feito em câmera (ava!), como se fosse primeira pessoa. É parecido com A Bruxa de Blair ou Atividade Paranormal. Na verdade, é quase a mesma coisa, a única diferença é que no primeiro filme os nego só fica correndo do mato, já no segundo filme tem um demo filha da puta querendo comer as pessoas enquanto elas dormem.

Ataque Coletivo
Angêla antes de ser arrastada e estuprada

O filme começa sendo uma reportagem num corpo de bombeiros em Barcelona, Espanha, onde a repórter Gostósinha Angêla Vidal e seu Câmera-Men Pablito vai ficar uma noite com os bombeiros para mostrar como é a rotina deles (como se todo mundo quisesse saber). Aí tá lá a repórter fazendo entrevista com os bombeiros, anoitece e eles tão jogando basquete quando o sinal de alerta toca. Eles vão pro caminhão dos bombeiros pra ir pro lugar que chamaram ele. Esse lugar é um prédio que fica na puta que pariu, onde o síndico é o capeta. Chegando no prédio todos os moradores estão no hall (aquilo é um hall? Meu Deus!!). Quando os bombeiros chegam o povo fica eufórico querendo contar o que aconteceu e ninguém entende nada o que eles estão falando, mas depois de muita paciência e palavrões espanhóis, eles entendem: uma véia louca estava gritando em seu humilde apartamento. Então os bombeiros, a repórter, o síndico disfarçado de humano e uns puliça sobem até o apartamento da véia. A porta tá trancada, eles arrombam a porta (o que não deveria ser feito). Eles entram, encontra a véia que tá muito maconhada e com sangue na roupa. Ela não fala nada e fica gemendo pois está com um vibrador no rabo. Então ela ataca um bombeiro ou puliça, tanto faz, mordendo a cara dele. Eles empurram a véia e descem correndo para colocar o homem na ambulância. Mas a porta lá embaixo ta trancada. Os mradores que ficaram lá falaram que uns policiais chegaram e trancaram a porta. Aí tinha uma mãe segurando sua filha no colo falando que o marido ia voltar com remédios porqueê a filha tava doente, tinha a máfica japonesa que não falava coisa com coisa, tinha um casal de velhos que tavam caducando, tinha a repórter brigando com um policial, e então um bombeiro cai lá de cima. Espatifa a cara no chão e voa sangue dele pra todo lado. Ai o povo fica meio que desesperado, querendo sair do prédio. Era preciso conter o sangue dos dois lerdos que se feriram. Aí eles vão pra uma pequena lojinha de tecidos, quem tem acesso pelo prédio. Eles iam sair por ali, mas lacraram a porta também. Falaram por um folofote que eles iam ficar ali por pouco tempo, mas que estavam em quarentena e que dois agentes especiais iam entrar depois de um tempo. Os dois feridos foram colocados em mesas na loja de tecido. Então a repórter foi fazendo entrevistas com os moradores e tal. Então eles decidem subir lá em cima (não idiota, subir lá embaixo) não me lembro por que raios. Eles entram no apartamento da véia. Uma mulher sai correndo de um cômodo, bate na parede (é cega ou loira, tia?!) e depois cai no chão morta. Depois vem a véia malukete. Os policiais falam pra ele ficar longe, mas ela vai correndo na direção deles, e o policial atira nela, que cai morta no chão. Aí eles descem e os astronautas agentes especiais chegam com umas ropitchas muito loucas e maletinhas. Eles falam que querem ver os feridos, aí eles vão na salinha na lojinha de tecidos onde estavam os caras, mas só os agentes, um policial e um ou dois bombeiros entram, mas o câmera-man filma escondido. Os tiozão colocaram algemas nos cara ferido e depois tiraram uma amostra de sangue de cada um. E então, surpreendentemente, os mordidos dão uma de Super-Homem e arracam as algemas e mordem um dos agentes e se eu não me engano um bombeiro. Os outros saem correndo e fecham a porta. O policial força o agente a falar o que esta acontecendo. Aí ele diz que um poodle nervosinho cachorro chegou no veterinário apresentando uma espécie de raiva muito diferente das "normais", e um chip dele fala que ele morava no prédio, e esse cachorro era da família da menininha, que na verdade estava infectada, não doente (o povo era infectado quando era mordido por um já infectado e aí depois que todo mundo ficou infectado, sobrando só a repórter e o câmera-men, eles vão pro sotão (sotão é o que fica em cima, certo?), então eles descobrem que a infecção tinha começado por uma menina com o demônio. Aí aparece a menina, mata o câmera-man e depois arrasta e estupra a repórter. O Filme acabada, e começa o outro com um padre, soldados da Umbrella Corporation, e um grupo de Adolescentes mexicanos que resolver entrar no prédio invés de ir assistir Rebelde.

OBS : SE VOCÊ ASSISTIU REC 2 E TEM PACIÊNCIA DE FICAR ESCREVENDO CRIE O ARTIGO REC²